Notícias

Sintap pede mudança, mas Intermat prefere reformar prédio

12/03/2018
ImagemCapa
Sindicato vai continuar atento e pedir aval da Defesa Civil do Estado

 

O Diário Oficial do Estado (DOE) trouxe, publicado na edição da última sexta-feira (09.03), o Extrato do Primeiro Termo Aditivo de Cessão de Uso total do prédio que o Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso (Intermat) ocupa no Centro Político-Administrativo a cerca de 30 anos e o qual dividiu com o Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) e a Secretaria de Estado de Agricultura (Seaf) até o ano de 2016. A medida é louvável, mas, ao mesmo tempo, preocupante, conforme apontam os diretores do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap). Isso porque o prédio em questão havia sido condenado pela Defesa Civil do Estado. Antes disso, em 2015, os servidores da autarquia fizeram greve pedindo a mudança do local por ser considerado insalubre.

 

A paralisação durou seis dias e só terminou com acordo entre o Estado e o Sintap de que haveria não só concurso público como também a efetiva mudança de prédio. Um ensaio de possível concurso foi feito através da criação de um Grupo de Trabalho para a elaboração dos parâmetros concursais para o Intermat no ano de 2016. Todavia, o prazo para ocorrer o concurso terminou em 31 de dezembro daquele ano e nada foi retomado. Com relação à mudança do prédio nada foi feito tendo o Intermat mudado de presidente do delegado Fausto Freitas para o atual, Cândido Teles, que achou conveniente reformar o local ao invés de mudar como ocorreu com o Indea e a Seaf.

 

Apesar de louvar a melhoria do prédio, o diretor-financeiro do Sintap, Francisco Borges, que é servidor do Intermat, tem receio de que isso não seja o suficiente para garantir a segurança no ambiente de trabalho dos 56 servidores que lá trabalham. “É preciso olhar com mais atenção para o Intermat, que é um órgão com um grande potencial arrecadador e que pode trazer ao Estado, conforme apontou o próprio governador Pedro Taques, R$ 500 bilhões de ativos, mas que, para isso, é preciso ter mais recursos humanos e um ambiente de trabalho que não seja um prédio que foi condenado. Por isso ficaremos de olho e acompanhando passo a passo o desenvolvimento das atividades da autarquia e vamos cobrar nova fiscalização da Defesa Civil Estadual no sentido de garantir que está tudo tranquilo”, finalizou Borges.


Autor/Fonte: Adriana Nascimento – Assessoria Sintap

  • Fotos

Deixe seu comentário

*
*
*
Rua 6, Setor Oeste, nº 2
Bairro Morada do Ouro, Cuiabá - MT
E-Mail: recepcao@sintapmt.org.br
Telefone: (65) 3644.3747/ 3644.3775 / 98118.7557