Sintap-MT

Sintap-MT

Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso.

“O que significa a inclusão?” é o tema escolhido este ano pela organização Down Syndrome International (DSI), do Reino Unido, para marcar o Dia Mundial da Síndrome de Down, comemorado hoje (21). A data foi criada pela instituição em 2006, com o objetivo de celebrar a vida das pessoas com a síndrome e garantir que elas tenham as mesmas liberdades e oportunidades das demais.

Neste dia, os portadores da síndrome e aqueles que vivem e trabalham com eles em todo o mundo organizam e participam de atividades para aumentar a conscientização pública e defender os direitos, inclusão e bem-estar dessas pessoas. A data foi escolhida em alusão à presença de três cópias do cromossomo 21 nas pessoas com a síndrome, em vez de duas, existentes nas demais.

Isso significa que a síndrome de Down é gerada pela presença de uma terceira cópia do cromossomo 21 em todas as células do organismo, o que ocorre no momento da concepção. Cromossomos são estruturas biológicas que contêm a informação genética. As pessoas com síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46, como a maior parte da população. Trissomia significa, portanto, a existência de um cromossomo extra.

A alteração genética conhecida como síndrome de Down está presente na espécie humana desde sua origem. Foi descrita assim há 150 anos, quando o médico inglês John Langdon Down se referiu a ela pela primeira vez como um quadro clínico com identidade própria, em 1866. Em 1958, o francês Jérôme Lejeune e a inglesa Pat Jacobs descobriram, de maneira independente, a origem cromossômica da síndrome. Foi quando ela passou a ser considerada síndrome genética.

“O que significa a inclusão?” é o tema escolhido este ano pela organização Down Syndrome International (DSI), do Reino Unido, para marcar o Dia Mundial da Síndrome de Down, comemorado hoje (21). A data foi criada pela instituição em 2006, com o objetivo de celebrar a vida das pessoas com a síndrome e garantir que elas tenham as mesmas liberdades e oportunidades das demais.

Neste dia, os portadores da síndrome e aqueles que vivem e trabalham com eles em todo o mundo organizam e participam de atividades para aumentar a conscientização pública e defender os direitos, inclusão e bem-estar dessas pessoas. A data foi escolhida em alusão à presença de três cópias do cromossomo 21 nas pessoas com a síndrome, em vez de duas, existentes nas demais.

Isso significa que a síndrome de Down é gerada pela presença de uma terceira cópia do cromossomo 21 em todas as células do organismo, o que ocorre no momento da concepção. Cromossomos são estruturas biológicas que contêm a informação genética. As pessoas com síndrome de Down, ou trissomia do cromossomo 21, têm 47 cromossomos em suas células em vez de 46, como a maior parte da população. Trissomia significa, portanto, a existência de um cromossomo extra.

A alteração genética conhecida como síndrome de Down está presente na espécie humana desde sua origem. Foi descrita assim há 150 anos, quando o médico inglês John Langdon Down se referiu a ela pela primeira vez como um quadro clínico com identidade própria, em 1866. Em 1958, o francês Jérôme Lejeune e a inglesa Pat Jacobs descobriram, de maneira independente, a origem cromossômica da síndrome. Foi quando ela passou a ser considerada síndrome genética.

Agência Brasil

Os mimos do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap-MT) aos seus sindicalizados estão percorrendo o estado de Mato Grosso e fazendo o maior sucesso.

As 'lembrancinhas' são entregues no sede do Sindicato, em Cuiabá, ou enviadas através de algum servidor para serem repassadas aos colegas.

Com a grande dimensão territorial de Mato Grosso, é sobretudo com a ajuda dos gerentes regionais e demais servidores dispostos a colaborar na entrega que a missão vem sendo cumprida.

Dias atrás, quando os servidores do Indea vieram à capital buscar as novas caminhonetes doadas pelo governo do estado ao Instituto de Defesa Agropecuária (Indea-MT), eles voltaram para suas cidades lotados de coisas endereçadas aos colegas.

O ex-delegado regional do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap-MT) de Matupá, Francisco Carlos Lopes Braz, é um dos grandes colaboradores do Sintap, e hoje morando em Novo Mundo, a 720 Km da capital mato-grossense, ele tem levado as encomendas para todos os colegas daquela região.

Todos os sindicalizados têm direito aos brindes, e os novos filiados já recebem os presentes no ato da assinatura da ficha de sindicalização.

Luiz Perlato/SINTAP-MT

 

A lista de filiados do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap-MT) continua aumentando. O mais novo sindicalizado é o servidor Roberto Luiz Corrêa da Costa, um dos fundadores do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT). 

Conforme destaca a presidente, Diany Dias, quanto maior o número de filiados, mais forte será o Sintap, para lutar pelos interesses da categoria.

De um total de 1.152 servidores de toda a base do Sintap, 836 já são filiados, e a meta é chegar aos 100%. O Sindicato representa os servidores do Indea, Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) e Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (SEAF).

 

Luiz Perlato/SINTAP-MT

NOTA DE ESCLARECIMENTO SOBRE A REUNIÃO DO FÓRUM SINDICAL COM O PREFEITO LICENCIADO DE CUIABÁ EMANUEL PINHEIRO EM 14/03/2022

 

Os esclarecimentos se fazem necessários diante das inverdades declaradas por Mauro Mendes e veiculadas por alguns sites de notícias de Mato Grosso envolvendo o Fórum Sindical e críticas feitas ao prefeito licenciado de Cuiabá Emanuel Pinheiro, durante a reunião que ocorreu em 14/03 entre o Fórum Sindical e Emanuel Pinheiro.

 

1 - O Fórum Sindical tem buscado desde o começo do governo Mauro Mendes, há três anos, reunir com o governador e seus secretários para discutir a pauta geral dos servidores e servidoras. No entanto, o governo do Estado tem reiteradamente recusado a receber o Fórum Sindical, preferindo agir de forma antidemocrática, impondo reformas que atacam os direitos dos servidores e servidoras, como foi a reforma da Previdência, que penaliza aposentados e pensionistas, além de procurar transferir para o setor privado a lucrativa previdência do Estado;

 

2 – Não é novidade que os servidores estão sofrendo arrocho salarial, devido o estado não pagar sequer as inflações dos últimos anos, mesmo alardeando que tem sucessivos superávits de arrecadação. Trata-se de uma política que penaliza os servidores e tratando o movimento sindical como inimigo do estado e dos cidadãos;

 

3- O Fórum Sindical de Mato Grosso congrega as diferentes categorias dos servidores públicos do estado e, assim sendo, trabalha com as pautas comuns das categorias, fundamentando-se no diálogo como princípio, tendo a disposição de ouvir todas as lideranças políticas e partidárias do estado de Mato Grosso, independentemente de suas agremiações partidárias. NÃO NOS PAUTAMOS NA ARROGÂNCIA E NEM NA EMPÁFIA PARA ATUARMOS;

 

4 - A reunião com o Prefeito licenciado, de Cuiabá/MT, Emanuel Pinheiro, foi importante para as lideranças sindicais ouvirem e serem ouvidas, pois este é o papel do Fórum Sindical, de representar os servidores públicos e defender os seus interesses, aprofundando o debate entre as lideranças políticas do estado;

 

5 -Da mesma forma como já se reuniu com o senador Wellington Fagundes e com o prefeito licenciado de Cuiabá Emanuel Pinheiros, o Fórum Sindical, também, deseja ser recebido pelo governador Mauro Mendes. OPTAMOS SEMPRE PELO DIÁLOGO. No entanto, é claro e evidente que não há diálogo com o atual governo porque não gosta de ser questionado sobre a forma que trata os servidores públicos desse estado. Por quê será que o governador Mauro Mendes, até o momento, não possibilitou reunir-se com ele?

 

6 - Conseguir uma agenda com o governador é uma meta antiga do Fórum Sindical, e caso ele confirme a sua disposição em disputar a reeleição, gostaríamos de recebê-lo enquanto candidato para que apresente quais serão as políticas voltadas para os servidores e funcionalismo público, da mesma forma como faremos com os demais candidatos e lideranças políticas desse estado;

 

7 - Muito embora sejam os partidos políticos que definem quem serão os candidatos, o Fórum Sindical tem o dever de debater as metas de governo, comparar as ações que os pretensos candidatos pretendem colocar em prática e procurar identificar como se portam em relação aos servidores públicos, para informar as categorias e deixar que cada eleitor tire as suas conclusões. O desespero quando não se tem projeto é atacar aqueles que pensam Mato Grosso em outras perspectivas. Afinal, governos passam. Mas, os servidores ficam;

 

8 - Infelizmente, em se tratando do governo atual do estado de Mato Grosso, não há muitas coisas positivas para se falar, com relação aos servidores públicos, e por outro lado vem sendo executada:

  • Política de arrocho salarial sem os pagamentos das RGA;
  • Ausência de concurso público;
  • Confisco de aposentadorias e pensões;
  • Ausência total de diálogo;
  • Práticas antissindicais.

 

9 – O governo Mauro Mendes se elegeu com votos de muitos servidores públicos com promessas que não passaram de falaciosas e que faltou com a verdade. Portanto, pelos fatos expostos, não seria o fórum sindical de conduta duvidosa. Caso o governador esteja sofrendo de esquecimento seria importante assistir as propagandas eleitorais e o plano registrado no TRE. Quem praticou inverdades para ser eleito governador não foi o fórum sindical e sim o governador Mauro Mendes que agora faz chacota com a cara do funcionalismo público;

 

10 - Mas um fato muito grave tem sido a ausência total de diálogo, aliada às práticas antissindicais, infelizmente tão recorrentes no atual governo. Por estes motivos julgamos injustas, arrogantes e desprovidas da verdade as declarações do governador Mauro Mendes em razão da reunião do Fórum Sindical com Prefeito licenciado de Cuiabá, Emanuel Pinheiro por julgar que a atividade estava sendo usada como palanque contra o governador Mauro Mendes. Esperamos que não seja o desespero em razão de pesquisa eleitorais que mostram significativa a atual gestão do Paiaguás; uma rejeição;

 

11 - Enfatizamos que o objetivo primordial da reunião foi e tantos outras será para ouvir o que pensam as lideranças políticas para com os servidores públicos, e este mesmo critério será aplicado no tratamento dedicado as demais lideranças quanto à sucessão do governo do estado.

 

Coordenação Fórum Sindical de Mato Grosso

Servidor do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) há 27 anos, o engenheiro agrônomo Cleber Tonello Pedro visitou o Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap-MT) dias atrás, sendo recepcionado pela presidente, Diany Dias.

Cleber iniciou sua carreira no interior do estado trabalhando num pool de atividades com passagem inclusive por Barra do Garças, mas hoje atua na Coordenadoria de Defesa Sanitária e Vegetal (CDSV), no setor de fiscalização de agrotóxicos.

Ele revelou que ao final deste ano deverá estar apto para se aposentar, mas ainda não se decidiu, e é bem provável que a aposentadoria seja adiada por decisão própria.

Luiz Perlato/SINTAP-MT

Em sua disposição de dialogar com todos os candidatos a governador de Mato Grosso, na manhã de hoje (14) as lideranças do Fórum Sindical estiveram reunidas com o prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, que tirou férias para articular sua possível candidatura ao Governo do Estado. O local do encontro foi o Hotel Holiday Inn, e a reunião, inicialmente estava prevista para acontecer somente com os servidores públicos e o prefeito licenciado, acabou atraindo também inúmeras entidades da iniciativa privada. Na sala lotada, o pré-candidato ouviu um pedido comum de todos eles: que, se eleito for,  valorize e escute a classe trabalhadora.

A luta unificada dos trabalhadores foi incentivada pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap-MT), Diany Dias, que foi uma das integrantes da mesa, com os demais coordenadores do Fórum Sindical (o presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público -Sintep/MT, Valdeir Pereira; a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso - SISMA/MT, Carmen Machado; e o presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado de Mato Grosso - ACS-PMBM/MT, Laudicério Aguiar).

"Vamos nos dar as mãos, e juntos, independentemente se é servidor público municipal, estadual e federal. Temos que bater na porta de todos, da sociedade e até mesmo das associações de moradores dos bairros, para falar da importância do serviço púplico desempenhado pelos servidores. Espero que todos aqui levem essa mensagem às suas base destacando a importância dessa união da classe trabalhadora", declarou Diany.

Para o líder sindical Antonio Wagner, essa união entre trabalhadores públicos e privados é fundamental para se recolocar o país nos trilhos. "A todos vocês a minha solidariedade, e obrigado pela presença de todos. Não estamos esquecendo das dores e dos problemas de vocês, pelo contrário". Na sala da reunião havia um número expressivo de representantes de trabalhadores da iniciativa privada. Desde à reforma trabalhista os trabalhadores do setor vêm perdendo direitos tanto quanto os servidores públicos.

Segundo o presidente do Sindicato dos Enfermeiros de Mato Grosso, Dejamir Soares, uma das categorias mais afetadas pelas reformas trabalhista e da previdência foi a dos enfermeiros, que durante a pandemia arcaram com a responsabilidade de tratar da população, em muitos casos pagando com a própria vida. Ele também destacou o papel desempenhado pelos enfermeiros durante a campanha de vacinação, mas destacou que os trabalhadores do setor não foram valorizados por isso, tendo em vista as dificuldades para aprovação do projeto de lei do piso salarial para enfermeiros e técnicos no país.

Após ouvir a todos, Emanuel Pinheiro destacou que a Revisão Geral Anual(RGA) é um direito conquistado, e o pagamento nem deveria estar sendo discutido pelos servidores públicos. "Os servidores poderiam estar se dedicando à discussão de outras questões', disse ele, manifestando solidariedade às categorias. Ele também agradeceu a presença de todos, que aceitaram o convite para a reunião e explicou que o objetivo era mais ouvir do que falar durante a reunião com o Fórum Sindical. "Fui eleito duas vezes para prefeito graças ao apoio dos servidores", por isso que o primeiro segmento que eu quis ouvir, logo na primeira reunião como possível pré-candidato ao governo do estado, foi o do Fórum Sindical", afirmou.

Nas palavras de Emanuel Pinheiro, os servidores públicos merecem resgatar a autoestima, e os problemas do Estado não podem ser jogados nas costas dos trabalhadores. “Muito pelo contrário, o servidor público é a solução dos problemas”, concluiu.

Luiz Perlato/SINTAP-MT

Numa iniciativa conjunta da Associação dos Servidores do Indea-MT (ASSIN-MT) e do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap-MT), a manhã desta sexta-feira (11) foi dedicada para a comemoração do Dia Internacional da Mulher.

Foi um animado café da manhã na sede da ASSIN, com muitos abraços e reencontros de colegas da categoria.

O evento lotou o salão de festas da ASSIN-MT, onde as mulheres foram entusiasticamente recebidas pelo presidente da Associação, Artur Venturi, e pela presidente do Sintap-MT, Diany Dias.

Um dos poucos homens presentes além do presidente da ASSIN foi o diretor de Assuntos Políticos do Sintap-MT, Francisco Borges.

Entre as participantes, um dos destaques foi a presença da deputada Janaína Riva. A presidente do Indea, Emanuele Gonçalina de Almeida, e a ex-presidente Maria Auxiliadora Pereira Rocha Diniz também compareceram.

Luiz Perlato/SINTAP-MT

O atendimento na sede do Sindicato será retomado a partir das 10 horas.

Parceiros