Sintap-MT

Sintap-MT

Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso.

Antecipando as comemorações do próximo domingo, na tarde de ontem (05) a Associação dos Servidores do Indea (ASSIN/MT) homenageou as servidoras associadas por ocasião do Dia das Mães. Uma das homenageadas durante o Chá da Tarde foi a presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap/MT), Diany Dias, que também recebeu um presente personalizado da Associação, com a diretora-financeira, Maria Fernanda Freitas de Almeida, e a servidora aposentada do Sindicato, Adjair Arsênia Silva.

O presidente da ASSIN/MT, Artur Luciano Venturi, declarou que, após o fim do período proibitivo para realização de aglomerações, a Associação retoma sua tradição de reunir as mulheres associadas em um agradável chá da tarde para homenagear todas as mães e promovendo a entrega de presentes personalizados a todas.

"São esses momentos em que podemos retribuir uma parcela do enorme carinho recebido de todas essas maravilhosas mulheres que compõem o quadro de associadas ASSIN-MT. Mães e Mulheres fortes, competentes que fizeram e fazem parte da força que move esse Estado de Mato Grosso. Neste evento contamos com a ilustre presença de personalidades  como a Presidente do Indea Dr@ emanuele g de Almeida, presidente do Sintap sr@ Dianieyre Dias, a as ex-presidentes do Indea Dr@ Maria Auxiliadora P. Da Rocha Diniz e Dr@ Daniela Soares de Almeida Bueno", destacou.

Para todas, Artur deixou a seguinte mensagem:

"Queridas amigas que um dia aceitaram a nobre missão que é ser Mãe. Para todas sem exceção, toda mulher é mãe, age como mãe,  mãe um irmão, mãe um amigo e as vezes mãe própria mãe. Sejam felizes e que o mundo e as famílias de cada uma, retribuam sua dedicação e façam seu amor a triplicar. Feliz dia das Mães"!

 


Passado o Dia do Trabalhador, comemorado no último primeiro de Maio, quero trazer um bálsamo de esperança para o trabalhador público do estado, que tem tido tão pouco a comemorar nesse governo.

Trago neste, uma “dica” tecnico-jurídica-orçamentária para o governador, que entre outras coisas disse que estava “perto do limite da LRF” no gasto com pessoal, e este seria um dos motivos de pagar RGA de 2022 a menor e sequer sentar à mesa para negociar a reposição da inflação dos anos de 2018 (4.19%), 2019 (3,43%), 2020 (4.48%) e 2021 (5.45%) e o resquício de 2022 (falta 3.16%), bem como o passivo desses anos todos.

Mas antes de começar, vamos combater a primeira fake news. Não estamos nem perto do limite prudencial de gasto com pessoal defendido pela LRF, que é 49% da receita (LC 101, Art 20, Inc II, Alínea “c”). Hoje estamos com 39% de gasto com pessoal frente a receita. Ou seja, de uma receita de cerca de 27 BILHÕES, se temos 10% de margem, temos mais de 01 (UM) BILHÃO de lastro para investimento em pessoal.

Para continuarmos, é importante lembrar que o governo mauro anunciou a plenos pulmões que tinha em caixa, de superávit, quase 2 bilhões de reais na virada de 2021, o que você leitor pode comprovar no link da própria AL MT (www.al.mt.gov.br/midia/texto/relatorio-aponta-superavit-de-quase-r-2-bilhoes-visualisar). Mesmo sem ter apresentado as contas do primeiro quadrimestre de 2022, sabe-se que o governo virou o ano com mais do que esses 02 bilhões em caixa anunciados.

Bom lembrar que os servidores tem a lei 10.572/17 cujo índice de reposição inflacionária de 4.19% ainda não fora quitado, sendo que o estado apenas pagou 2% em abril de 2020 do que determinava tal lei, restando ainda 4.19% de perdas inflacionárias e um passivo desse percentual não pago, que se soma mês a mês nas perdas dos servidores. E é dele que viemos falar neste artigo.

Dito isso, a operação é mais simples do que parece. É só uma questão orçamentária, de alocamento desse superávit, para sequer influir no índice da LFR do gasto com pessoal, preservando ainda a margem de 10% para negociar os demais anos da RGA atrasada a serem implantados em folha.

É o seguinte, acompanhem o raciocício. Se o governo tem hoje quase 2 Bilhões em caixa e, sendo esse Superávit o financeiro que sobrou do ano passado para este, pagando-se os passivos de curto prazo e, separando financeiro para os Restos a Pagar. Portanto, financeiro disponível para alocação, sendo que o Estado pretende alocar em Grupo 04 (Investimentos), mas nada impede que seja alocado no Grupo1 (Pessoal).

Se as despesas referentes a exercícios anteriores são pagas neste elemento de Despesas (92), o Estado deveria alocar este Superávit (financeiro disponível do ano anterior) nas Ações Orçamentárias de Pagamento de Pessoal, na classificação orçamentária 319092. Assim podendo pagar esse passivo dos valores devidos e acumulados pelo não pagamento da RGA desses anos anteriores.

Esses números são uma linguagem Orçamentária onde cada número corresponde a uma “classificação” orçamentária possível pelo governo, sendo que essa classificação orçamentária (319092) na prática se destrincha assim: 3 é despesa corrente, 1 é grupo de pessoal, 90 é aplicação direta, 92 é elemento de despesas de exercícios anteriores.

Portanto o Estado pode alocar, direcionar os financeiros disponíveis (apurados no superavit, ou seja, quase 02 bilhões de reais), para o Grupo 1 de Pessoal, no Elemento 92, Despesas de Exercícios anteriores, com o objetivo de pagar os passivos trabalhistas existentes com os Servidores do Estado de Mato Grosso, pelo não pagamento da RGA dos anos de 2018 a 2021.

É a fórmula orçamentária que acaba com esse imbrólio. Onde o governo pode escolher pagar os passivos (soma dos valores não pagos e devidos), digamos, da RGA dos anos de 2018 (4.19% ao mês somados até os mês atual) e 2019 (3,43% ao mês somado até o mês atual), por essa ação orçamentária inteligente, quitando os valores ATRASADOS da RGA e injetando de uma só vez milhões na economia do estado, fomentando todos os setores econômicos. Assim, deixaria a margem de 10% de gasto de pessoal para IMPLANTAR os percentuais firmados, pagando de agora pra frente esses anos em atraso e mais a sobra de 3.16% da RGA de 2022 que se pagou a menor. Restando daí os anos de 2020 e 2021 para serem negociados posteriormente, tanto o passivo mensal quanto os percentuais a serem implementados em folha.

Imagina, num ano eleitoral, o governo pagar quase 8% de PASSIVOS (valores somados ao mês e em atraso) da RGA (4.19% + 3.43%), respectivos aos anos de 2018 e 2019 até a data atual, com esses valores parcelados ou mesmo em cota única sem impactar na LRF, impactando somente a partir da implantação dos percentuais em folha?. Imagina como haveria um fomento a economia? Como os servidores pagariam seus cartões de crédito, planos de saúde, seus empréstimos consignados e abrindo margem para novos empréstimos, que por si só dobraria esse valor injetado pelo governo?.

Assim o impacto no limite da LRF atual seria apenas na implantação desses percentuais, e não no pagamento dos atrasados devidos. Seria uma jogada estratégica e tanto, pois que inteligente, técnica e não populista!

Lembrando que ter margem de 10% no orçamento de quase 27 bilhões, significa dizer que o governo teria mais de 1.5 bilhões de reais para investir em pessoal, frente a uma folha de 500 milhões de reais. Assim, mesmo o governo quitando os mais de 20% devidos de RGA e os implantando em folha e pagando seu passivo ou parte dele como indicado neste artigo, haveria lastro suficiente para esse gasto/investimento com pessoal sem comprometer os investimentos que deseja a atual gestão.

Essa é minha dica e minha mensagem de esperança aos trabalhadores públicos do poder executivo de Mato Grosso neste pós primeiro de Maio, em especial os Servidores da Área Meio do Poder Executivo que, com suas capacidades técnicas me ajudaram a pensar essa saída.

Antônio Wagner Oliveira, Secretário Geral do SINPAIG MT, Vice Presidente da CSB MT, Secretário Nacional do Serviço Público Estadual da CSB.

Servidor do Instituto de Defesa Agropecuária (INDEA/MT) há 8 anos, o médico veterinário Isidoro Celso dos Santos Júnior é o atual vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap/MT), e esta é a primeira vez que ele participa da diretoria de um sindicato. Hoje com 36 anos de idade, ele revela, entretanto, que já foi até vereador em sua cidade e que também já participou de missões humanitárias no Iraque e Guiné-Bissau.

"Estou muito satisfeito em participar da diretoria do Sintap. Fui convidado pela Diany Dias, nossa presidente, e foi uma honra, pois ela é excepcional no que faz. Uma das missões que recebi com os demais colegas da diretoria foi a de unir a nossa base sindical, trazer para dentro todos os servidores do Indea e Intermat para participarem de um sindicato que representa, de fato, a categoria. Como vice-presidente, vou me empenhar no sentido de aumentar a capilaridade política com partidos e outras instituições, como as associações de produtores", declara Isidoro.

O vice-presidente também falou sobre a relação do Sindicato com a administração do INDEA. "É difícil julgar alguém que ocupa a cadeira de presidente de um órgão, assim como é difícil calçar o sapato dos outros, mas também estou muito satisfeito com a atual diretoria do INDEA. A presidente, Emanuele Gonçalina de Almeida, o diretor de Administração, Luiz Gustavo Tarraf Caran, e o diretor Técnico, Renan Tomazele, têm recebido muito bem as nossas demandas, nos atendendo sempre com a máxima presteza possível. Estamos desenvolvendo um trabalho diplomático entre o Sindicato e a administração pública e penso que ainda vamos conseguir avançar muito".

Conforme Isidoro, as pautas do Sintap contemplam a população em geral. "Não temos interesse em defender apenas os servidores, e sim o interesse de todo o estado de Mato Grosso. Quando levamos demandas de melhoria de condições de trabalho, por exemplo, é bom que se destaque que nós atendemos os produtores rurais e queremos que eles sejam atendidos numa unidade mais nova e bem estruturada, que tenha um ar-condicionado que funcione e que tenha também um bebedouro, pois às vezes a pessoa fica 2 ou 3 horas ali", disse ele, destacando, entretanto, que a atual administração do INDEA tem se empenhado em atender o Sindicato, conseguindo, inclusive, lançar um edital de concurso.

Isidoro está lotado em Nova Guarita, na região de Peixoto de Azevedo, onde é o único servidor. "Quando o pessoal brinca comigo e pergunta qual é a minha função, eu digo que sou afedaf I e II, além de fiscal de defesa agropecuária e médico veterinário, mas não posso reclamar da infraestrutura. Sempre fui muito bem atendido, e graças a Deus agora teremos um concurso que vai dar suporte ao trabalho que o INDEA tem feito ao longo de todos esses anos", conclui.

Luiz Perlato - SINTAP/MT

 

Parabéns aos servidores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal, que levantam cedo todos os dias para ir trabalhar e fazer as coisas acontecerem!


Neste dia especial, a presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap/MT), Diany Dias, ressalta que 1º de maio é o nosso dia de comemorar, como trabalhador que somos, lembrando que os servidores são os responsáveis pelo desenvolvimento do nosso Estado no seguimento agrícola, agrário, pecuário e florestal.


"Parabéns a todos os guerreiros e guerreiras do INDEA e INTERMAT, que a força esteja com vocês, e lembrem-se que para quem tem fé em Deus e força de vontade o sucesso se faz presente. Quem sabe faz a hora não espera acontecer, assim somos nós. Aproveitem o feriado para descansar ao lado da família", pede ela.

 

Luiz Perlato - SINTAP/MT

No dia 6 de maio de 2022, às 8 horas, no Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap/MT) acontecerá a reunião ampliada dos aposentados e pensionistas para tratar sobre o passeio deles neste ano, e a comissão organizadora da viagem, após 3 dias de análises e reuniões com representantes de empresas especializadas com a participação da diretora Financeira, Maria Fernanda Freitas de Almeida Casula, já definiu as informações que serão levadas aos entusiasmados sindicalizados do segmento, para discussão e encaminhamentos.

De acordo com a diretora de Assuntos de Aposentados e Pensionistas, Orenil de Andrade, os servidores que não residem na capital também vão poder participar da ampliada, porque o Sintap-MT realizará o evento de forma presencial e virtual, e os aposentados e pensionistas poderão acessar a reunião através de um computador ou celular com internet, mediante um link que será disponibilizado ao público-alvo.

Segundo Orenil, durante a reunião ampliada os aposentados e pensionistas deverão definir o destino do próximo passeio deles através do Sintap, em conformidade com o curto período de avaliação das opções e com as possibilidades financeiras do Sindicato. "Dentro das nossas condições, sempre procuramos proporcionar o melhor para os nossos sindicalizados e sindicalizadas, e temos muitas ideias para atender os aposentados e pensionistas", concluiu.

Luiz Perlato - SINTAP/MT

Na manhã desta quarta-feira (27) o café da manhã da presidente do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap/MT), Diany Dias, foi com o ex-vice-governador de Mato Grosso Chico Daltro, que já foi secretário de Agricultura do Estado e, portanto, conhece bem a realidade dos servidores do Instituto de Defesa Agropecuária (INDEA/MT) e do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat).

Além dessa experiência com o sistema agrícola, agrário e pecuário, Daltro é um bancário de origem, tendo, portanto, um histórico sindical e experiência no setor. Ele veio dar as boas-vindas à atual diretoria do Sindicato e também se apresentar como advogado.

Também estiveram presentes o diretor de Assuntos Políticos, Francisco Borges; a diretora Financeira, Maria Fernanda Freitas de Almeida Casula; a diretora de Assuntos de Aposentados e Pensionistas, Orenil de Andrade; e a subdelegada da Sucursal de Cáceres, Suely Tocantins.

Luiz Perlato - SINTAP/MT

 

O atendimento psicológico foi reestabelecido pelo Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap/MT). A partir do dia 02 de maio, a Psicóloga Themes Lorena de Mesquita estará atendendo os sindicalizados, às segundas, terças e quartas-feiras no período vespertino.

O atendimento será tanto presencial quanto online, e cada sindicalizado tem direito a até 10 sessões.

Para agendar sua consulta, ligue para o SINTAP-MT - Telefones (65) 3644-3747 e (65) 98123 4448.

Especialista em Gestalt Terapia e Terapia Cognitiva Comportamental, a Dra. Themes se formou há 16 anos pela PUC de Goiás, tendo 10 anos de experiência em recursos humanos e 6 anos de experiência na área clínica, em atendimento de adultos e casais.

Luiz Perlato - SINTAP/MT

A Diretoria de Assuntos de Aposentados e Pensionistas promoveu uma reunião, na tarde de hoje (25), no Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap/MT). Conforme informações da diretora da pasta, Orenil de Andrade, a pauta foi o estudo de estratégias de ação da Diretoria. Participaram da reunião com Orenil de Andrade a presidente do Sintap, Diany Dias;  a diretora de Honra,  Benedita Ribeiro da Cruz (Dona Didi); o diretor de Assuntos Políticos, Francisco Borges; a subdelegada da Sucursal de Cáceres, Suely Tocantins; e a servidora aposentada Adejair Arsenia Silva (Dona Deja).

Luiz Perlato - SINTAP/MT

Parceiros