3ª onda - Sem terem sido vacinados contra covid, Sintap faz novas solicitações em prol dos servidores ao governo de MT Destaque

Sexta, 21 Mai 2021 20:10 Escrito por  tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte

Assessoria de Imprensa
Sintap/MT


Mato Grosso já vive a terceira onda de contaminação pela covid-19, com aumento no número de casos e elevação da taxa de ocupação nos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com contaminados pelo novo coronavírus.

Conforme as autoridades da área da saúde, em momento mais crítico, havia fila de 200 pessoas esperando por vaga em UTI na capital. Hoje não há fila, mas a doença se agrava rapidamente e é possível que o cenário mude repentinamente.


Diante disso, o Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (SINTAP/MT), mais uma vez está cobrando a presidência do Indea/MT e ao governo do Estado, medidas de proteção aos servidores frente ao novo agravamento da doença no Estado.


Entre as medidas requisitadas pelo sindicato, estão: equipamentos de proteção, medidas de biossegurança e fechamento de unidades, e principalmente, a inclusão dos servidores no grupo prioritário de vacinação.
“Estamos prevendo novamente uma situação caótica no Estado e acreditamos que o momento é de nos precavermos antes que seja tarde de novo”, disse a presidente do Sintap/MT, Rosimeire Ritter, reforçando que os servidores não podem mais uma vez ficarem desassistidos pelo Estado.


“Tanto na primeira, quanto na segunda onda não tivemos nenhum tipo de ação para preservar a vida dos servidores por parte do governo, com isso, o resultado foram muitos colegas doentes, internados e alguns casos piores ainda, que perderam até a vida, então, agora esperamos mais atenção com equipamentos de segurança para todos e até fechamento das unidades para atividades presenciais”, afirmou Rosimeire.


OFICIO – Para se fazer essas cobranças ao governador de Mato Grosso, o Sintap/MT enviou um oficio à Mauro Mendes, reforçando as inúmeras noticias que tem circulado na imprensa mato-grossense, inclusive com declarações de autoridades da área da saúde que comprovam o forte impacto que a 3ª onda da covid-19 irá causar no Estado.


Diante disso, no documento o sindicato requisita que: Sejam alteradas as normas do Decreto nº. 658, de 30 de setembro de 2020 e do Decreto nº 874, de 25 de março de 2021, compatibilizando-se as medidas de prevenção dos riscos de disseminação do coronavírus (COVID-19) a “terceira onda”; Sejam alteradas as normas a fim de prever a proibição de atendimento presencial, o teletrabalho e o revezamento em todos os órgãos públicos, enquanto perdurar a “terceira onda” informada pelo Secretário de Saúde do Estado de Mato Grosso; Seja criado um plano de retorno das atividades com etapas predefinidas e cronograma de retorno gradual compatível com a necessidade de se evitar novas “ondas” e novos colapsos nos sistemas de saúde dos Municípios e do Estado. Por fim, sejam tomadas providências para que os servidores do INDEA/MT, cujos serviços são considerados essenciais segundo o Decreto nº 10.282, de 20 de março de 2020 que regulamenta a Lei nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020 e contam atualmente com as indicações de nº. 2130/2021, 2222/2021 e 2369/2021 dos Deputados, respectivamente, Max Russi, Janaina Riva e Paulo Araújo requisitando a inclusão dos servidores no grupo prioritário e vacinados.

Ler 119 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Sintap-MT

Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso.

Parceiros