Com taxas de contaminação ainda elevadas, Sintap envia ofício ao governador questionando retorno total dos servidores ao trabalho e sem o mínimo de proteção Destaque

Terça, 04 Mai 2021 20:28 Escrito por  tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte

Assessoria de Imprensa

Sintap/MT

Diante do retorno obrigatório dos servidores públicos ao trabalho presencial, exigido pelo governo de Mato Grosso, o Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Florestal e Pecuário do Estado de Mato Grosso (SINTAP/MT), que representa os servidores do Indea e Intermat, protocolou nesta terça-feira (04.05), um oficio no Palácio Paiaguás, direcionado ao governador Mauro Mendes.

Conforme o documento enviado, no qual consta informações levantadas, “a taxa de ocupação, que diminuiu aproximadamente sete pontos percentuais entre os dias 27 e 28 de abril, começou a apresentar um crescimento gradual e contínuo desde o dia 29 de abril, o que demonstra que a revogação das medidas que surtiram efeito na redução da ocupação de UTI vai ocasionar novo colapso do sistema”, além disso, “Outro ponto a ser abordado, é que a revogação das medidas não coincide com a redução dos níveis de risco dos municípios. Ao contrário, a classificação de todos os municípios, segundo o boletim epidemiológico 415, de 27 de abril de 2021, está em “alto” ou “muito alto””.

O Sintap/MT lembra ainda ao governo de MT, que “em relação ao Indea, as medidas prevenção, contenção e combate ao coronavírus têm sido descumpridas reiteradamente, uma vez que, apesar da cobrança quase semanal deste sindicato, a limpeza, desinfecção, disponibilização de produtos de limpeza, higiene e itens de segurança no ambiente de trabalho não são fornecidos ou realizados; ou são com a periodicidade inadequada”.

Nesse sentido, “a adoção de trabalho telepresencial nos municípios de classificação de risco definida como “alta” ou “muito alta” deve ser mantida, e deve ser observado um modelo progressivo que prestigie a manutenção de teletrabalho até que a classificação de risco diminua para “moderada” ou “baixa””, diz o sindicato, que afirma ainda, que “é preciso haver compatibilização entre a prestação do serviço público e a garantia da saúde, da segurança e da vida dos servidores públicos que, diante do cenário atual, correm risco ao se submeterem a trabalho presencial e atendimento presencial”.

Conforme o oficio ainda, o retorno ao trabalho presencial deveria ser precedido da inclusão dos servidores do INDEA/MT no grupo prioritário e da vacinação. Nesse ponto, é importante lembrar que existe na Assembleia Legislativa as indicações de nº. 2130/2021, 2222/2021 e 2369/2021 dos Deputados, respectivamente, Max Russi, Janaina Riva e Paulo Araújo requisitando a inclusão dos servidores do INDEA no grupo prioritário. “Até a presente data não houve a inclusão”, afirma a presidente, Rosimeire Ritter, que cobra ainda, que “no quadro atual o mínimo que se espera do Governo do Estado de Mato Grosso é que mantenha as regras de teletrabalho ou de revezamento, independentemente do número de servidores, a fim de obstar a propagação do vírus e garantir que os servidores não sejam infectados”.

Para finalizar o documento, o sindicato cobra inúmeras informações e faz sugestões, como: A necessidade de se trabalhar presencialmente, uma vez que é possível fazer atendimento não-presencial ao público enquanto perdurar a classificação dos municípios como de risco “alto” ou “muito alto”; Seja dada preferência para o teletrabalho em todos os municípios classificados como de risco “alto” ou “muito alto”, considerando a necessidade de garantir a vida e a saúde dos servidores; E que seja criado um plano de retorno das atividades com etapas predefinidas e cronograma de retorno gradual compatível com a classificação de risco do município, dando-se prioridade ao teletrabalho e instituindo o revezamento em todas as unidades, inclusive naquelas que contam com apenas dois servidores em atividade, pois nestas o risco de a atividade parar é maior caso ambos sejam contaminados.

 

Ler 29 vezes
Avalie este item
(1 Votar)
Sintap-MT

Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso.

Parceiros