Devido ao caos da pandemia de coronavírus, Sintap cobra medidas mais rígidas do Indea/MT e fechamento de todas as unidades Destaque

Quinta, 11 Março 2021 18:28 Escrito por  tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte
 
Assessoria de Imprensa
Sintap/MT
 
Os dados dos órgãos de saúde em relação à pandemia de coronavirus são alarmantes e assustadores, sem contar o surgimento de novas cepas, com reflexo em Mato Grosso e ainda o pior, o Estado está com taxa de ocupação de UTI em 98,96% e já está com fila de espera por disponibilidade de unidade.
Com isso, há uma grande preocupação da diretoria Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário e Pecuário do Estado de Mato Grosso (SINTAP/MT), que representa os servidores do Indea e Intermat, já que as atividades desenvolvidas pelo Indea são consideradas essenciais e típicas de Estado e não podem parar. “Isso nos preocupa em relação aos servidores, que mesmo em sistema de revezamento estão expostos a contrair a doença”, afirmou a presidente, Rosimeire Ritter.
 
O Sintap cobra ainda a autarquia em relação ao equipamento de proteção individual, como por exemplo, biombo ou barreiras físicas, indispensáveis ao resguardo da saúde e vida do servidor público que esta prestando atendimento ao cidadão. “Além disso, ainda falta álcool gel ou líquido, produtos básicos de limpeza e higiene, sendo que em algumas unidades há escassez generalizada a ponto de os servidores precisarem racionar imotivadamente os produtos fornecidos em muitas, senão todas, as unidades de trabalho”, afirma a presidente.
 
Todas essas situações foram relatadas em um oficio e enviado a presidente do Indea/MT. No documento a diretoria do sindicato cobra mais rigidez da autarquia em relação à preservação da vida dos servidores.
 
“A gestão das ações contra o alastramento da pandemia dentro da autarquia ocorreu abaixo do mínimo esperado, visto que nenhuma ação foi determinada por expressão da autonomia do órgão. Ao contrário, durante toda a pandemia houve indiscriminada necessidade de se requerer, inclusive através de ações judiciais ou denúncias no MPT, medidas mínimas de preservação da saúde e da vida dos servidores”, diz trecho do oficio.
 
O documento reforça ainda, que se “o INDEA/MT, não adotar uma postura mais rígida em relação à contenção da doença, veremos, muito em breve, um surto dentro da autarquia” e ainda, que “Não é a primeira vez que este Sindicato requisita a adoção de medidas urgentes e indispensáveis para resguardar a saúde e a vida dos servidores, e, em todos os casos, o que se viu foi desprezo pela vida dos que se dedicam a fazer a autarquia funcionar”.
 
Para finalizar, o Sintap/MT faz uma série de solicitações, entre elas de que: Todos os servidores passem a trabalhar em regime de teletrabalho;
 
Todos os atendimentos, em todas as unidades, e independentemente da classificação do município, sejam realizados de forma telepresencial, virtual, telemático, telefônico ou por qualquer outro meio de comunicação que dispense o contato presencial do servidor com o público externo;
 
Que seja adquirido e fornecido aos servidores, independentemente da natureza do serviço prestado, equipamentos de proteção individual e garantido um ambiente de trabalho seguro, inclusive com instalação de proteções e áreas de isolamento e distanciamento social; Que sejam abastecidos com álcool gel e liquido, bem como com os produtos básicos de limpeza e higiene todos os locais de trabalho, entre outras.
 
“Também comunicamos, mais uma vez, que caso nada seja feito, requisitaremos às autoridades competentes a adoção de medidas judiciais, penais e administrativas adequadas para garantir a saúde e segurança dos servidores”, garantiu Rosimeire.
Ler 216 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Quinta, 11 Março 2021 20:11
Sintap-MT

Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso.

Parceiros