Governo MM exige que aposentados façam prova de vida presencial em plena pandemia e faz com que eles se acumulem em fila quilométrica para aquisição de documento Destaque

Domingo, 13 Dezembro 2020 09:05 Escrito por  tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte
 
Assessoria de Imprensa
Sintap/MT
 
De acordo com informações de idosos que estavam na fila aguardando para serem atendidos no cartório do 3º Oficio em Cuiabá, a fila era de aproximadamente 300 pessoas, muitas delas sem máscaras e aglomeradas. O motivo de tantas pessoas no local é para a retirada de uma certidão de casamento atualizada para o recadastramento dos servidores aposentados, exigido pelo governo do Estado para comprovação de vida.
 
“Estava um absurdo de gente em plena pandemia, todos do grupo de risco tendo que se expor desta maneira. É inacreditável um governo desse, desumano e sem respeito pelas pessoas da terceira idade que tanto dedicaram suas vidas ao serviço público”, disse a professora Mariza Beatriz, que aguardava na fila, mas acabou desistindo devido a situação do local, já que conforme ela ainda, haviam poucos bancos para se sentar e a água havia acabado.
 
OFICIO – Nesta semana ainda, ao tomar conhecimento dos procedimentos para se refazer o recadastramento dos aposentados, o Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal (Sintap/MT), que representa os servidores do Indea e Intermat, fez um ofício solicitando a dispensa da obrigatoriedade de recadastramento presencial até mesmo para os que moram nas cidades polos diante dos riscos a essas pessoas.
 
“Segundo as informações repassadas pelo MT Prev, apenas os beneficiários que possuam incapacidade de locomoção ou em razão de moléstia grave, moradores de outras cidades que não integram a lista de municípios polos, podem optar pelo recadastramento on-line, mas diante do que estamos vivendo é inadmissível que esses servidores aposentados, que são do grupo de risco, tenham que se expor desta maneira. Por que não se abranger para todos esse mesmo procedimento?”, questionou a presidente do Sintap/MT, Rosimeire Ritter.
 
Conforme Rosimeire ainda, a questão cartorária é apenas uma das exigências e já tem causado grande transtorno a esse grupo, “agora, imagine os demais procedimentos, sem contar que a dificuldade é ainda maior para quem mora fora do Estado, terá que vir em Mato Grosso apenas para fazer o recadastramento”, afirmou.
Ler 206 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Domingo, 13 Dezembro 2020 09:15
Sintap-MT

Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso.

Parceiros