Nota de repúdio contra declarações do governador de Mato Grosso Destaque

Terça, 19 Mai 2020 18:52 Escrito por  tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte diminuir o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte aumentar o tamanho da fonte

O Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal de Mato Grosso (Sintap/MT), que representa os servidores do Indea/MT e Intermat/MT, vem a público repudiar veementemente as declarações do governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, a um site de notícias da capital, em que afirma “que a sociedade precisa enfrentar a covid-19. Que é necessário tomar as medidas preventivas, mas não é possível que todos fiquem em casa. Ele criticou a postura de sindicatos que pediram o teletrabalho após um servidor ser testado positivo para a covid-19”.

Conforme a direção do Sintap/MT, Mendes insurge contra a atuação prolifica deste Sindicato que reiterou inúmeros pedidos para que a direção do Indea/MT aplicasse medidas adotadas pelo Estado de Mato Grosso, como o revezamento de servidores, ou até mesmo o teletrabalho para os que cumprissem os critérios.

O Sintap/MT reforça que o governador está totalmente equivocado em suas declarações, já que em nenhum momento foi solicitado que os servidores ficassem em casa, até porque desenvolvem atividade considerada essencial.

Os inúmeros pedidos realizados sempre ressaltaram a essencialidade da atividade, entretanto pediu-se que houvesse equilíbrio entre medidas puramente políticas e medidas de segurança para evitar a proliferação da Covid-19, já que servidores doentes sequer poderiam trabalhar de casa.

A atuação sindical sempre se deu no sentido de que fossem implantadas pelo Estado garantias e/ou protocolos mínimos de segurança a fim de preservar a saúde e a vida dos servidores ou minimizar os riscos, com implantação, por exemplo, de revezamento de equipes nas unidades da autarquia.

O revezamento é um ponto crítico nas políticas adotadas pelo Governo do Estado para conter a propagação do coronavírus nos órgãos públicos, visto que a implantação não se deu de modo integrado e igualitário. Nas unidades do Indea/MT o revezamento não considerou os riscos e/ou a ausência de protocolos de segurança quanto ao atendimento físico, de forma que a Autarquia adotou posicionamento anti-isonômico e sequer deu oportunidade para que os servidores pudessem expor suas dúvidas, sugestões e reivindicações.

A falta de isonomia ficou ainda mais aparente quando restou denunciado na mídia que um servidor do INDEA/MT tinha contraído coronavírus. Os protocolos adotados no INDEA/MT divergiam demasiadamente daqueles adotados na Seplag, por exemplo.

Enquanto no INDEA/MT a desinfecção foi realizada pela empresa de limpeza e os servidores foram dispensados por apenas um dia, na Seplag o isolamento durou uma semana, a fim de que fosse realizada desinfecção.
Por fim, pedimos que haja uma reflexão sobre as declarações feitas pelo governador Mauro Medes, visto que não é de se esperar que um Governador do Estado faça declarações insuflando a população contra os servidores e, ao mesmo tempo, não apresente uma medida de segurança sequer a fim de preservar a saúde destes.

Os servidores do Estado desenvolvem um trabalho de extrema importância e relevância para o cidadão e não deveriam ser colocados como oportunistas diante da tão grave situação em que o mundo vive com a pandemia de coronavírus, a qual já tirou a vida de 17.509 cidadãos somente no Brasil e mais de 297.360 no planeta.

O Governador do Estado deve, ao invés de atacar os servidores, apresentar medidas concretas visando a proteção da vida e saúde dos mesmos, o que não tem ocorrido desde os primeiros Decretos.
Os servidores tem sido preteridos pelos Decretos, e deixados à mercê de políticas contrárias às medidas de saúde e segurança implantadas em nível de Estado, de forma que os pedidos de revezamento e/ou teletrabalho se amoldam à política astênica de proteção aos servidores até então promovida.

Se o Sindicato pede que o Servidor seja protegido de tão grave crise deve o Estado garantir o que prevê a Constituição, e não aviltar o sentimento de medo causado pela falta de atuação do Governo na garantia de medidas que deem segurança aos que movem as engrenagens do Estado.

Portanto, não é hora de brincar com a vida da população, tampouco dos servidores deste Estado, governador Mauro Mendes, é hora de mostrar o que tem sido feito para preservar vida, bem como garantir que aqueles que não podem parar tenham condições de atuar sem que isso coloque sua vida em risco. Por isso, o total repúdio da nossa categoria a vossa excelência.

Assessoria de Imprensa
Sintap/MT

Ler 65 vezes
Avalie este item
(0 votos)
Última modificação em Terça, 19 Mai 2020 18:54
Sintap-MT

Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso.

Website.: www.sintapmt.org.br/

Parceiros