Notícias

Diretores do Sintap/MT se reúnem com membros da CPI da Previdência em busca de informações

27/11/2019
ImagemCapa
O principal ponto da reforma, questionada pelos integrantes do Fórum Sindical, é a do aumento da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%

A semana tem sido de intensas reuniões para os diretores do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal de Mato Grosso (Sintap/MT), representante dos servidores do Indea e Intermat, em relação à proposta de adesão à Reforma da Previdência nacional para os servidores mato-grossenses, proposta pelo governador de Mato Grosso, Mauro Mendes.

Após se reunirem com Mauro Mendes, na segunda-feira (25.11), onde apresentaram documento questionando pontos prejudiciais da reforma da previdência para os servidores públicos do estado de Mato Grosso, a presidente do Sintap/MT, Rosimeire Ritter e o diretor-geral, Vânio Brandalise, estiveram discutindo o projeto em reunião com outros membros do Fórum Sindical. Já tarde desta terça-feira (26.11) também participaram de reunião com integrantes da CPI da Previdência, instaurada pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).

O principal ponto da reforma, questionada pelos integrantes do Fórum Sindical, é a do aumento da alíquota de contribuição previdenciária dos servidores de 11% para 14%. Conforme o governador Mauro Mendes (DEM), a mudança deverá ser feita obrigatoriamente, já que nenhum estado poderá manter para os servidores uma contribuição menor do que a do governo federal. Ao todo, 15 unidades da federação já ajustaram a alíquota.

Segundo Mauro Mendes ainda, a idade média na aposentadoria nos últimos anos em Mato Grosso foi de 56 anos, além disso, o estado tem 28.716 servidores aposentados, sendo a maioria com idades entre 50 a 55 anos (9,5 mil).

Já o tempo médio de duração da aposentadoria dos servidores é de 28 anos. O governo também apresentou uma evolução dos servidores ativos e inativos: em 2023 o estado terá mais funcionários públicos inativos do que ativos.
Outras opções apresentadas, como corte de investimentos, congelamento do duodécimo dos Poderes, aumento de impostos, ou diminuição das aposentadorias, não seriam suficientes pra cobrir o valor necessário para pagar os aposentados e pensionistas, de acordo com o governo de MT.

“Nós estamos buscando todos os tipos de informações para termos base para contrapor o que diz o nosso governador, para mostrar para ele que existem outras formas de resolver esse problema sem prejudicar ainda mais o servidor público. Ele nos deu um prazo de 15 dias para apresentarmos esses documentos, então, depois de nos reunirmos com o Fórum Sindical, também buscamos informações com a CPI sobre o que já foi apurado de irregular até o momento”, afirmou a presidente do Sintap/MT.


Autor/Fonte: Assessoria de Imprensa/Sintap-MT


    Deixe seu comentário

    *
    *
    *
    Rua 6, Setor Oeste, nº 2
    Bairro Morada do Ouro, Cuiabá - MT
    E-Mail: recepcao@sintapmt.org.br
    Telefone: (65) 3644.3747/ 3644.3775 / 98118.7557